Ei! Marionetas - Encontro Internacional de Marionetas de Gondomar

Ei! MARIONETAS 2023

Os cachos do meu cabelo | ESPETÁCULO DE MARIONETAS

Os cachos do meu cabelo

“Uma menina tem cachos no cabelo que condizem com o seu tom de pele. Nenhum menino na sua escola tem cachos no cabelo tão belos como os dela. Sabe que é diferente. Pretendemos abordar a questão da culturalidade étnica, musical, a identidade do indivíduo.”

O espaço escolar é um lugar fundamental para a formação de ser humano, é também ali onde se constrói o futuro das sociedades. Espaço de aprendizagem, mas também lugar de conflito, de barreiras e fronteiras. Nem sempre estes comportamentos refletem o pensamento de quem os pratica, são por vezes instrumentos de afirmação que se sobrepõe a um bem maior. Esta história parte do lado mais perverso do universo escolar, discriminatório, hostil, sem filtros como é peculiar nestas gerações.

Só que a menina tem muito mais para contar do que estar ao serviço de egos. Ela transporta consigo histórias, objetos que fazem parte das suas origens e de que ela tanto se orgulha. Os seus conhecimentos, a sua forma afável de estar, a sua paz, a sua luz são contagiantes. Percebe-se que aquele espaço vai ser pequeno para o tamanho dos seus sonhos e dos seus conhecimentos.

A indiferença foi a melhor arma para construir afetos, criar o seu espaço e conquistar o mundo, que cresce a cada momento. Ela é realmente feliz. Queremos trazer para este espetáculo o imaginário de tradições, objetos, músicas, culturas, conceitos e vivências ímpares, pouco comuns à sociedade ocidental. Será esta dicotomia alheia ao conhecimento das nossas crianças que despertará a curiosidade e o interesse em saber mais do planeta que pertence a todos.

Apresentação

Da Serra do Montemuro chega-nos o teatro que tão bem nos habituou ao contacto entre a palavra, a terra e a identidade, que são valores que estão inscritos no espetáculo que apresentamos. “Os cachos do meu cabelo”, o valor de sermos diferentes.

-- Filipa Mesquita

Teatro Regional da Serra do Montemuro

Trinta anos do Teatro do Montemuro a construir história e a criar histórias não acontecem de fugazes momentos de inspiração. Tem que existir uma estratégia, um pensamento estruturado que suporte o projeto para que ele tenha longevidade no tempo. Foi assim que tudo começou e é com base nesse princípio que continuará a ser.

Teatro do Montemuro iniciou a sua atividade em 1990, trabalhando de uma forma experimental até 1995. A ausência de atividades culturais, a falta de oportunidades e o inconformismo levaram um grupo de jovens a investir a sua energia num projeto que lhes permitiria fixarem-se na sua terra. Hoje a pequena aldeia de Campo Benfeito, encravada entre os montes da Serra do Montemuro, tornou-se um local de referência na criação, difusão e programação artística.

O Teatro do Montemuro assume-se por obrigação e vocação uma companhia itinerante, que investe os seus recursos humanos e técnicos na circulação das suas produções artísticas. A companhia continua apostar na criação de textos originais contemporâneos, inspirando-se nas mais variadas situações da atualidade. Tudo acontece num processo coletivo que une autores, encenadores, cenógrafos, atores, músicos e é desta forma democrática que nascem os espetáculos. A identidade artística foi sendo criada com base nas vivências rurais, mas principalmente através da partilha humana que desde o início a companhia promove. Foram os colaboradores que contribuíram decisivamente para o crescimento da companhia a todos os níveis. Colaboradores esses que se deslocam de vários pontos do mundo, com maior incidência oriundos do Reino Unido para transmitirem as suas linhas artísticas em prol da diversidade criativa.

O Teatro do Montemuro assenta numa equipa permanente de sete pessoas. É uma estrutura sólida que investe as suas energias e os seus recursos na criação, apresentação e divulgação de novas obras artísticas.

Ficha Artística

Links

Downloads

Foi Assim ...